sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Porque é Natal



DAVID MOURÃO-FERREIRA

Nasceu em Lisboa em 1927 e faleceu na mesma cidade em 1996.
David Mourão-Ferreira foi poeta, dramaturgo, ficcionista, ensaísta, crítico literário e tradutor.
Formado em Filologia Românica, foi director do Serviço de Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian, director da Revista Colóquio/Letras e professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.



Natália Correia

Natália Correia nasceu a 13 de Setembro de 1923 na Ilha de São Miguel, nos Açores. Veio estudar para Lisboa ainda criança e cedo iniciou a sua actividade literária. Poetisa, ficcionista, ensaísta, tradutora, dividiu a sua criatividade pelo teatro e pela investigação literária. Empenhada politicamente, viu vários dos seus livros serem apreendidos pela censura, chegando a ser condenada a três anos de prisão com pena suspensa, acusada de abuso de liberdade de imprensa.
Morreu em Lisboa a 16 de Março de 1993.




Miguel Torga

Miguel Torga é o pseudónimo literário do médico Adolfo Correia da Rocha, nascido em S. Martinho de Anta, Trás-os-Montes, em 1907.
Aos treze anos deixou o Seminário de Lamego para ir para o Brasil, onde trabalhou durante cinco anos numa fazenda. Depois de regressar do Brasil, completou o curso dos liceus em apenas 3 anos e em 1933 concluiu o curso de Medicina na Universidade de Coimbra.
Colaborou na revista Presença, mas acabou por concluir que a autenticidade poética exigia o máximo de individualidade e fidelidade a si mesmo, optando por seguir um caminho próprio.
Distinguido com vários prémios, foi proposto duas vezes (1960 e 1991) para o Prémio Nobel .
Miguel Torga faleceu em Coimbra em 1995.
Poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta e memorialista, da sua vasta obra podemos destacar Ansiedade, 1928; A Criação do Mundo, 1937; Contos da Montanha, 1941; Diário (16 vols.), 1941-1993; Antologia Poética, 1981.

Pode saber mais sobre a vida e obra de Torga .

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Sobre a segurança daquilo que escrevemos na net...


Fica aqui um exemplo (para os interessados) de como o anonimato é algo de muito relativo...

Pode ver-se na imagem (clique para ampliar):

-a forma como um determinado utilizador entrou aqui;

-que palavras colocou no motor de busca para aqui chegar;

-o seu endereço IP...


p.s.: este post, felizmente, interessará a muito poucos, mas esses compreenderão a mensagem.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Ciclo da água

Clique na imagem para ampliar


Carta Europeia da Água







Para ver melhor clique aqui

Texto original e integral da Carta Europeia da Água - AQUI

Ciclo da água

Alerto para o facto de a animação que se segue estar escrita em português do Brasil!



Clique na imagem

Preparação para a ficha de avaliação V:
Mais um exercício sobre densidade

Na tabela encontram-se os valores das massas volúmicas de alguns materiais sólidos, puros, à
temperatura ambiente:



1.1 – Qual destes materiais é o mais denso?

1.2 – Qual destes materiais é o menos denso?

1.3 – Numa experiência, mediu-se o volume de um cubo de ferro utilizando uma régua para medir as arestas do cubo. Obteve-se o valor de 8,0 cm3 (centímetros cúbicos) para o volume do cubo. Mediu-se a massa desse cubo numa balança e o valor obtido foi 64,0 g.
Qual é a densidade do cubo de ferro?

Preparação para a ficha de avaliação IV:
Exercício - Propriedades Físicas e Químicas

Nas frases seguintes, identifica as propriedades químicas (PQ) ou físicas (PF):


(A) O ponto de fusão do cobre é 1084 oC.
(B) Se soprarmos dentro dum tubo que contém água de cal, a solução fica turva.
(C) O estado físico do enxofre cristalizado é sólido.
(D) O enxofre é insolúvel em água.
(E) Na combustão do enxofre numa cápsula de porcelana, observa-se uma chama azulada.
(F) O cobre é um material maleável.
(G) O diamante é um material extremamente duro.
(H) A limalha de ferro é atraída por um íman.
(I) Se queimarmos carbonato de cálcio dentro de um kitasato, recolhemos lateralmente um gás.
(J) Se misturamos soluções de nitrato de chumbo com iodeto de potássio num tubo de ensaio, obtemos um precipitado sólido e amarelo.

Preparação para a ficha de avaliação III:
Exercício - Transformações Físicas e Químicas

Indique se as transformações que se seguem são transformações químicas (TQ) ou físicas (TF):

(A) Rasgar um papel.
(B) Dissolver sal de cozinha em água.
(C) Dilatação dos metais que são aquecidos.
(D) Criação de ferrugem num prego.
(E) Combustão da madeira.
(F) Formação de orvalho.

(G) Queimar açúcar até obter “caramelo”.
(H) Digestão da gordura dos alimentos no
estômago.
(I) Fotossíntese das plantas.
(J) Evaporação da água.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Transformações Físicas e Químicas da Matéria

A matéria que nos rodeia está em constante mudança, sofrendo inúmeras transformações. Um copo que parte, uma floresta que arde, o gelo das calotas polares que funde, tudo isto são exemplos de transformações que ocorrem todos os dias.

Podemos assim distinguir dois tipos de Transformações, as Transformações Físicas e as Transformações Químicas.


Transformações Físicas

As transformações físicas da matéria ocorrem quando há mudança de estado físico de um determinado material, ou uma dissolução de um soluto num solvente. Neste tipo de transformação, não há formação de novas substâncias.

São exemplos de Transformações Físicas:


- a mudança de estado físico de um corpo, como por exemplo a água, que entra em ebulição aos 100 ºC


- Um vidro que se parte



- Um soluto que se dissolve num solvente


Transformações Químicas

As Transformações Químicas ocorrem sempre que há formação de novos materiais, ou seja, a partir dos materiais iniciais formam-se outros materiais diferentes.


Ocorre uma transformação química quando:
- se forma um sólido de cor diferente;
- há mudança de cor da solução;
- se forma um gás;
- há variação de temperatura;
- as substâncias iniciais desaparecem;
- se origina um cheiro característico.


São exemplos de Transformações Químicas:


- a Respiração Celular que ocorre nos seres vivos

- a Fotossíntese realizada pelas plantas
- cozinhar os alimentos
- o fogo de artifício


EXERCÍCIO AQUI

Preparação para a ficha de avaliação II - material de laboratório




Exercícios aqui e aqui

Preparação para a ficha de avaliação I - densidade




1)Vários meninos ganharam uma grande barra de chocolate que foi dividida entre eles. A densidade de cada pedaço é maior, menor ou igual à densidade da barra?


2)Um pedaço de pão é comprimido por uma pessoa com as suas mãos.
A) A massa do pedaço de pão aumenta, diminui ou não varia?

B) E o volume do pedaço de pão?

C) E a densidade do pão? Explique.


3) O volume de leite na caixinha é 236 ml.
Determine a densidade do leite.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Tabelas de densidades

Aqui e aqui

Sobre densidade



Um vídeo sugerido pelo André Mateus, nº 2 do 7ºC

Ponto de fusão e ponto de ebulição



clique na imagem e encontrará :


uma explicação
um teste
e um resumo

Mudanças de estado físico - água



clica na imagem

Nónio



O primeiro nónio foi um instrumento de navegação inventado pelo matemático português Pedro Nunes em 1514.
O instrumento possibilitava as medições no astrolábio com rigor de alguns minutos de grau, permitindo planear a navegação com uma margem de erro da ordem da dezena de quilómetros. Em França, o nónio foi introduzido em 1631, por Pierre Vernier, onde foi usado para construir instrumentos de metrologia com escalas de medição muito precisas. Por causa disto, o nónio também é conhecido como vernier. O nónio pode ser descrito como um par de escalas graduadas, geralmente em milímetros ou graus, que deslizam uma sobre a outra. Na segunda escala (que é o nónio propriamente dito) é possível ler uma fracção da medida da primeira escala.
O nónio é usado em paquímetros e micrômetros para medidas precisas. Num paquímetro típico, a escala principal é calibrada em milímetros, e o nónio permite realizar medidas com precisão de 0,05mm. Na foto, mostra-se um paquímetro com nónio, capaz de realizar medidas com uma precisão máxima de 0,02 milímetro. O nónio é a escala inferior, que desliza sobre a escala superior (principal). O traço do nónio que se alinhar perfeitamente com um dos traços da escala principal, dá a medida da fração de unidade, que deve ser somada à medida inteira da escala principal. Neste exemplo, o zero do nónio encontra-se após a medida de 3 milímetros da escala principal, e o traço do nónio mais bem alinhado com a escala principal é o correspondente a 0,58 milímetros. Logo, a medida lida pelo instrumento é (3+0,58)=3,58 milímetros.
ver animação aqui
fonte: Wikipédia

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Velocidade das reacções químicas

clique na imagem


Velocidade das reacções químicas



Exercícios - Acerto de equações químicas ( 8º ano)

Aqui

Exercícios - equações químicas (7º e 8º ano)

AQUI

Acerto de Equações (8ºano)

Informação aqui

Magnetismo Terrestre




BRÚJULAS = BÚSSOLAS

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Imagens de Marte - Phoenix

Phoenix "abre os olhos"

mais imagens aqui

visite o sítio da NASA

Sonda Phoenix aterra em Marte

Representação da sonda Phoenix



A sonda Phoenix aterrou em Marte, esta segunda-feira, depois de 679 milhões de quilómetros de percurso entre Terra e o planeta vermelho. Entretanto, as primeiras fotografias já começaram a chegar a Terra.



Menos de duas horas depois de ter aterrado ( eu diria, amartado) em Marte, a Phoenix enviou para Terra 40 fotografias do solo do planeta vermelho, numa das quais se vê um dos seus três pés assente entre pequenas pedras.




( Quem é que ainda se lembra da justificação da cor de Marte???!)


A sonda norte-americana entrou em Marte cerca das 0:30 de Lisboa, após um descida coreografada em que teve de abrir os seus pára-quedas e disparar foguetes para reduzir a sua velocidade de quase 20 mil km/h para apenas 8 km/h.


A "amartagem" deu-se às 0:38, mas apenas foi confirmada às 0:53, uma vez que o sinal demorou 15 minutos a chegar a Terra, depois de percorrer, à velocidade da luz, os 276 milhões de quilómetros que separam Marte e a Terra.




Magnetismo Terrestre




A Terra pode ser considerada um íman gigantesco.


O magnetismo terrestre é atribuído a enormes correntes eléctricas que circulam no núcleo do planeta, que é constituído de ferro e níquel no estado líquido, devido às altas temperaturas. Em vários locais da Terra, os pólos norte geográfico e sul magnético têm seus sentidos coincidentes. Na maioria dos lugares, entretanto, forma-se um ângulo entre a direcção do norte geográfico, ou norte verdadeiro, e a direcção indicada pela bússola. Este ângulo entre as direcções do pólo norte geográfico e do pólo sul magnético é chamado de declinação magnética.


Trabalho realizado pelas alunas :
-Ana Paula nº3
-Claudia nº9
-Ana Amado nº2
7ºH



terça-feira, 27 de maio de 2008

Íman


Um íman permanente é feito de um material ferromagnético. (As suas propriedades magnéticas são causadas pelo spin dos electões que se encontram no interior da matéria.)
Um íman é um dipolo, tem sempre dois pólos, "norte" e "sul". Por definição, o pólo sul de um íman é o que é atraído pelo pólo norte magnético da Terra.

Os dipolos não podem ser separados. Se um íman for dividido ao meio, obtêm-se dois ímans menores, cada um com um pólo norte e um pólo sul.


Um electroíman é um íman que se baseia em campos magnéticos gerados por cargas em movimento. Ou seja, uma peça de liga de ferro, com um fio enrolado, por onde circula energia eléctrica.

VECTOR

Em física e em cálculo vectorial, vector é um conceito caracterizado por uma magnitude, que é um número positivo (também chamado módulo do vector), e uma orientação (direcção e sentido), que pode ser definida por 2 ângulos num espaço de 3 dimensões.

Dinamómetro



Chama-se dinamómetro ao aparelho graduado de forma a indicar a intensidade da força aplicada num dos seus extremos. Internamente, a maioria dos dinamómetros são dotados de uma mola que se distende à medida que se aplica uma força. Esse equipamento ainda mensura o comportamento da carga alargada ou tensão por deformação, de uma mola, deslocamento do ar, ou extensão de ligas metálicas. Lêem-se valores em newton (N) ou em quiilograma-força(kgf), como por exemplo 100gf=1 newton / 9,8N=1kgf.



Patrícia nº17, Rúben nº21, Joao nº13 - 7ºE

Unidades de intensidade de força

Na Dinâmica usamos exclusivamente o Sistema Internacional de Unidade (SI), que tem, para unidade de intensidade de força, o newton, cujo símbolo é N.

Observe que, de acordo com as regras de escrita do SI, a unidade "newton" se escreve com letra minúscula, embora venha do nome próprio "Newton".

Por razões históricas, às vezes aparece uma outra unidade de força, que não pertence ao SI: é o quilograma-força, cujo símbolo é kgf e tal que 1 Kgf = 9,8 N

Rita, Ricardo , Mª Alexandra 7ºE

Forças de atracção gravítica


A gravidade é a força de atracção mútua que os corpos materiais exercem uns sobre os outros. Classicamente, é descrita pela lei de Newton da gravitação universal. Foi descoberta primeiramente pelo físico inglês Isaac Newton e desenvolvida e estudada ao longo dos anos.
Albert Einstein descreveu-a como consequência da estrutura geométrica do espaço-tempo.


Do ponto de vista prático, a atracção gravitacional da Terra confere peso aos objectos e faz com que caiam ao chão quando são soltos no ar (como a atracção é mútua, a Terra também se move em direcção aos objectos, mas apenas por uma ínfima fracção).



A gravitação é o motivo pelo qual a Terra, o Sol e outros corpos celestes existem: sem ela, a matéria não se teria aglutinado para formar aqueles corpos e a vida como a entendemos não teria surgido. A gravidade também é responsável por manter a Terra e os outros planetas nas suas respectivas órbitas em torno do Sol e a Lua em órbita em volta da Terra, bem como pela formação das marés e por muitos outros fenómenos naturais.

Realizado por:



Ana Paula, n.º3
Ana Rita, n.º4

Interacção gravítica entre a Terra e satélite artificial







Imagens enviadas por:
Cátia nº5
Cheila nº6
Joana Victória nº11

7ºE

Magnetismo Terrestre


O fenómeno do magnetismo terrestre é o resultado do facto de que toda a Terra se comporta como um enorme íman. Os pólos magnéticos da Terra não coincidem com os pólos geográficos do seu eixo. Além disso, as posições dos pólos magnéticos não são constantes e mostram mudanças observáveis de ano para ano. A medida da intensidade do campo magnético é feita com instrumentos chamados magnetómetros, que determinam a intensidade do campo e as intensidades em direcção horizontal e vertical. A intensidade do campo magnético da Terra varia nos diferentes pontos da superfície do planeta .



sexta-feira, 9 de maio de 2008

La Traviata - Verdi

8ºC e 8ºD




A Diana Brito do 8ºD teve a gentileza de me enviar os conteúdos num documento word.

Muito obrigada.

Na Maia

Dias 8, 9 e 10 de Maio o Parque Central da Maia recebe a III Feira das Oportunidades, uma organização do Pelouro da Juventude da Câmara Municipal da Maia.A Feira das Oportunidades é um certame onde podes encontrar várias propostas para o teu percurso escolar, diversas saídas para o teu futuro profissional e ainda as soluções para concretizares os teus projectos empresariais.Está confirmada a participação de mais de oitenta entidades como Escolas e Centros de Formação, Universidades, Ensino Artístico (teatro, música, cinema), Forças Armadas e Forças de Segurança, Apoio a Projectos e à Criação de Novas Empresas, Emprego, entre outras, que, durante os três dias da Feira, poderão ajudar-te a fazeres as escolhas que garantirão o teu futuro.


Programa e informação actualizada diariamente AQUI

Sondagens

Há 4 novas sondagens ali na lateral.

Dêem a vossa opinião sincera.

Obrigada

.......

Logo, ao fim do dia, voltamos a ter um momento musical!!

Vai valer a pena!!!

8º ano

O meu assistente técnico - o Bruno Pinho do 8ºD - baldou-se!!!
Por isso ainda não temos o filme da reacção de combustão do magnésio.


A verdade é que o cameraman não se lembrou de transferir o filme. A mesma teve que ser realizada hoje na aula!!!

Aguardemos .........

8ºC e 8ºD


p.s.: não digam nada a ninguém, porque se tiverem muitas negativas, eu vou morrer ou de vergonha ou de uma enorme frustração.

8º ano: o que estudar para o próximo teste


Flores que encontrei na escola

Andei a passear pela nossa escola.
Vi tanta coisa!!!
... nem vos digo ;))))






... já esqueci!